DRC Turismo - Viaje com quem gosta de viajar!

Pesquisar neste blog

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Sete navios de cruzeiro atracam no Pier Mauá de 13 a 19 de dezembro

(Pier Mauá e Cruising online, 14/12/2018; fotos: Daniel R.Carneiro, Cruising online / DRC Imagem)

Porta Helicópteros Multipropósito A140, da Marinha do Brasil, é um dos visitantes da semana

Na semana de 13 a 19 de dezembro, sete embarcações de cruzeiro chegam ao Pier Mauá trazendo no total 23.416 turistas, incluindo os tripulantes. Além destas, o cais do Pier Mauá recebeu também esta semana o mais novo navio da Marinha do Brasil, o PHM (Porta Helicópteros Multipropósito) Atlântico - que substituirá o porta-aviões São Paulo -, aberto à visitação pública até ontem.

O navio Hamburg, que veio do Caribe, passou por Belém (PA), Natal (RN), Recife (PE), Salvador (BA) e chegou na Cidade Maravilhosa (RJ) no dia 13 de dezembro, de onde os passageiros embarcaram em voo de volta para Alemanha. O Hamburg é um pequeno navio de 14,903 toneladas destinado à classe média-alta alemã e tem capacidade para 426 passageiros e 170 tripulantes.

O navio alemão Hamburg, da Plantours

A luxuosa embarcação Marina, da Oceania Cruises, inicia hoje, 14 de dezembro, uma jornada de 20 dias que parte do Rio de Janeiro seguindo por Ilha Grande, Santos, Buenos Aires, Montevidéu, Punta del Este.

O luxuoso Marina, da Oceania Cruises

Dia 15 é a vez do já conhecido do público brasileiro, o Sovereign (Soberano), fretado pela operadora CVC à Pullmantur e único navio da temporada brasileira que funciona no sistema tudo incluído. A duração dos roteiros em sua maioria são de cinco noites, exceto os cruzeiros de Natal, Réveillon e Carnaval que são mais longos. Santos e Rio de Janeiro são os portos de embarque no navio que visita Santos, Rio de Janeiro, Recife, Salvador, Balneário Camboriú e Búzios. O navio passou por uma reforma de 20 milhões de euros e agora conta com nova programação de entretenimento a bordo, incluindo novos shows. Ao longo da temporada de verão 2018/19, o Sovereign realizará um total de 23 cruzeiros pelo litoral brasileiro, com embarques em Santos (SP) e Rio de Janeiro (RJ). A maioria dos itinerários será de curta duração (4 noites) rumo a Búzios (RJ) ou Balneário Camboriú (SC). O navio retorna do dia 19 ao Pier Mauá.

Dia 16 volta ao Rio o MSC Fantasia. A estimativa é que o navio traga a bordo mais de 5.600 pessoas, entre passageiros e tripulantes. O navio terá embarques no Rio de Janeiro e em Salvador com opções de mini-cruzeiros de três noites com escalas em Ilha Grande (RJ) e Ilhabela (SP); de cinco a sete noites com escalas em Ilha Grande, Búzios, Cabo Frio (RJ), Ilhéus e Salvador; e de oito noites rumo ao sul, com pernoite em Buenos Aires, na Argentina, e escalas em Punta del Este, no Uruguai, e em Ilhabela (SP). É o maior navio a oferecer embarques na Cidade Maravilhosa, desde que o país começou a receber navios de cruzeiros.

Dia 16 também atraca no Pier Mauá o navio MSC Orchestra, trazendo mais de 3.900 passageiros e tripulantes. O navio, imaugurado em 2007, faz parte da classe Musica, da MSC Cruzeiros. A bordo, os cruzeiristas encontrarão a calorosa hospitalidade do Mediterrâneo e a deliciosa cozinha italiana.

O Costa Fascinosa, da Costa Cruzeiros, também volta ao Pier Mauá no dia 17. O navio fará roteiros de sete, oito e nove noites com embarque no porto do Rio de Janeiro e roteiros que passam por Recife, Maceió, Salvador, Rio de Janeiro, Búzios, Ilhabela, Ubatuba, Angra dos Reis, Punta Del Este, Montevidéu e Buenos Aires.

A temporada começou no dia 27 de outubro e vai até final de abril de 2019. O Terminal Internacional de Cruzeiros funciona nos Armazéns 4 e 5, sendo o embarque realizado no Armazém 4 e movimentação de bagagens no 5. Vale ressaltar a facilidade de acesso ao porto: quem chega ou sai do terminal conta com estação de VLT logo em frente (Parada dos Navios) e estacionamento da própria concessionária, que está localizado também próximo ao Terminal, entre a Av. Barão de Tefé e a rua Souza e Silva, com acesso de pedestres no Boulevard Olímpico. 

Confira a programação completa de navios do Pier Mauá na temporada 2018/2019 acessando o link http://www.piermaua.rio/programacao/.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Editorial - Turismo marítimo e náutico: é preciso tratá-lo com a atenção e seriedade que merece

(Daniel R.Carneiro, Cruising online, 12/12/2018)


O Brasil, com seus 7.367 km de litoral (ou cerca de 9.200 km se consideradas suas reentrâncias, com baías e foz de rios) e fartura em rios navegáveis, clima propício durante a maior parte do ano e inúmeras cidades costeiras com potencial turístico inegável, é, sem dúvida, o cenário propício para o crescimento do turismo marítimo (navios de cruzeiro) e náutico (iates e pequenas embarcações de turismo) em níveis acima da média mundial. Mas fatores como entraves burocráticos, os altos custos operacionais e, em nossa opinião, a falta de maior diálogo entre todos os entes envolvidos, faz com que a atividade continue a engatinhar no país - e não apenas a engatinhar, mas a perder navios para outros destinos como Cuba, Oriente Médio e Extremo Oriente. Companhias que há algumas temporadas fizeram sucesso no Brasil, como a Royal Caribbean, já nos deixaram, e outras com longa tradição em nossos portos, como a Costa Cruzeiros, que chegou a ter sete navios (quatro próprios e três de sua antiga subsidiária Ibero Cruzeiros), tem vindo, nos últimos anos, com apenas dois.

A ocupação de berços de atracação (que deveriam ser de uso exclusivo ou prioritário dos cruzeiros durante a temporada)
por navios cargueiros e plataformas off-shore vem causando desconforto a turistas e armadores no Rio de Janeiro

Exemplos disso podem ser observados em alguns de nossos principais portos, como o do Rio de Janeiro, onde os navios de cruzeiro vêm tendo sua atracação junto ao terminal turístico comprometida por estarem os berços do cais que deveriam ser prioritariamente destinados ao uso dessas embarcações (ao menos durante a temporada de cruzeiros) sendo utilizados por navios mercantes e pelo off-shore. No último dia 5 de dezembro estavam previstas as atracações do navio MSC Seaview (o maior já trazido para realizar cruzeiros na costa brasileira) e do Celebrity Eclipse, este último trazendo cerca de 2.800 turistas estrangeiros em um cruzeiro de longo curso da Europa a Buenos Aires. Com a ocupação, há meses, do berço junto ao armazém 6 por uma plataforma, e por falta de espaço entre esta e o navio da MSC, o Celebrity Eclipse foi obrigado a atracar no armazém 12, próximo à rodoviária Novo Rio, obrigando a Pier Mauá a providenciar uma numerosa frota de microônibus para o deslocamento dos passageiros entre o navio e a estação de embarque e desembarque. Além disso, uma rocha em frente ao armazém 4 (cuja remoção nunca foi contemplada pelas dragagens efetuadas no porto pela Companhia Docas do Rio de Janeiro) restringe o calado dos navios nessa posição a 7,90 metros, limitando ainda mais a operação dos cruzeiros no porto carioca.

Búzios, um dos destinos mais desejados pelos turistas dos navios, perde escalas pela insistência do poder municipal em convencer
armadores a utilizarem seu cais, interditado pela Justiça Federal. Em vez de executar as necessárias reformas e reparos no cais,
prefere continuar desestimulando o uso do cais privado existente na cidade. Perdem a cidade e sua economia, que conta com os cruzeiros.

Búzios, por sua vez, volta a enfrentar logo no início da temporada um problema recorrente: o forte lobby do Município junto aos armadores para que utilizem seu cais junto à Rua das Pedras (mais uma vez nterditado pela Justiça Federal por falta de condições mínimas de segurança), embora a cidade disponha de um outro cais, em muito melhor estado, com melhor infraestrutura e perfeitamente capacitado para receber os turistas de navios, administrado pela iniciativa privada. Esse impasse e a inoperância da autoridade municipal em executar as necessárias reformas e reparos em seu cais vem levando ao cancelamento de escalas, prejudicando especialmente o comércio da cidade, que nesta época costuma comemorar a grande afluência de turistas dos cruzeiros.

Alguns dos mais belos destinos do Estado do RJ deixam de receber navios pelo mau aproveitamento de seu potencial. Em Angra dos Reis,
seu porto poderia receber pequenos e médios navios de cruzeiros, mas é subutilizado pelo off-shore. Arraial do Cabo, que também possui
um cais que permite a embarcação de pequenos navios, deixou de receber cruzeiros há mais de dez anos. Cabo Frio também sofre com
indefinições sobre a operação de seu porto turístico, e Itacuruçá, com suas belas ilhas, também deixou de receber cruzeiros.

Além disso, um Estado como o Rio de Janeiro - que junto com Santa Catarina e São Paulo concentram o grosso do turismo marítimo e náutico no Brasil -, vê grande parte desse potencial subutilizado ou inexplorado pelos já mencionados entraves burocráticos e desentendimentos entre os entes locais, ou mesmo pelo desinteresse das autoridades municipais em explorar e fomentar essas oportunidades. Lugares com belezas exuberantes e que já receberam (ou recebem em menor número) cruzeiros como Cabo Frio, Arraial do Cabo, Angra dos Reis, Itacuruçá/Jaguanum e Paraty, e outros ainda desconhecidos para o turismo marítimo, como Maricá ou Rio das Ostras, precisam despertar o quanto antes para o turista que chega pelo mar. Estudos da Fundação Getúlio Vargas, em conjunto com a CLIA Brasil (Cruise Lines International Association) revelam que na temporada 2017/2018 os cruzeiros marítimos tiveram um impacto de R$ 1,792 bilhão, número que engloba tanto os gastos diretos e indiretos das companhias marítimas quanto os gastos de cruzeiristas e tripulantes (11,5% a mais que no ano anterior). Os gastos totais dos passageiros e tripulantes dos navios nas cidades e portos de embarque, desembarque e trânsito - que incluem compras de passeios turísticos, suvenires, alimentos e bebidas e transporte durante, antes e/ou após a viagem, foram da ordem de R$ 965 milhões.

Se desejamos que o Brasil conquiste e consolide posição de destaque entre os principais players do turismo marítimo e náutico mundial, é preciso que todos os envolvidos - armadores, portos, autoridades federais, estaduais e municipais (incluindo a Receita Federal, órgãos de proteção ao meio ambiente, polícias, guardas municipais e coordenação de trânsito), operadores de receptivo e hotelaria - busquem um entendimento comum em que todos só terão a ganhar. 

Parcerias público-privadas para a melhoria da infraestrutura portuária (com o poder público reduzindo os entraves burocráticos e delegando projetos e sua exploração a armadores e empreendedores do ramo portuário), ações conjuntas entre armadores e hotelaria (criando roteiros em que o turista possa se hospedar na cidade de origem ou destino antes ou após o cruzeiro ou promovendo experiências nos portos visitados, como eventos gastronômicos, culturais e esportivos utilizando a estrutura de hotéis e resorts) são apenas algumas das muitas possibilidades a serem exploradas.

O Grupo de Apoio e Fomento ao Turismo Marítimo e Náutico do RJ, por muitos anos competentemente coordenado por Luiz Brito Filho,
da TurisRio (e do qual tivemos a honra de participar), foi a mola motora para a melhoria do receptivo de cruzeiros no Estado, contribuindo,
inclusive, com ideias para as melhorias posteriormente implementadas pela concessionária de porto turístico do Rio de Janeiro, Pier Mauá.

E que iniciativas como o Grupo de Apoio e Fomento ao Turismo Marítimo e Náutico do Rio de Janeiro (instituído pelo Decreto nº 24.031, de 03/02/1998 e alterado pelo Decreto nº 26.762, de 14/07/2000), tão atuante há algum tempo atrás e que contribuiu significativamente para a qualidade da recepção aos cruzeiros no Estado, voltem a fazer parte da pauta prioritária dos órgãos oficiais de turismo.


Daniel R.Carneiro, 53 anos, é analista de sistemas graduado pela PUC-RJ em 1987, jornalista de turismo especializado em aviação e cruzeiros, editor dos sites Cruising online e Aviation online, agente de viagens e servidor público estadual. Foi membro do Grupo de Apoio e Fomento ao Turismo Marítimo e Náutico do RJ e assessor especial da Secretaria de Turismo do Estado do RJ. Grande entusiasta dos cruzeiros, vêm militando em favor do desenvolvimento da atividade no Brasil desde a criação de Cruising online, em 1999.

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Primeira temporada do meganavio MSC Seaview é celebrada no Brasil: Estivemos a bordo! Veja como foi o lançamento do navio na temporada brasileira.

(MSC Cruzeiros e Cruising online, 11 de dezembro de 2018; fotos: Daniel R.Carneiro, Cruising online / DRC Imagem)

MSC Seaview no Pier Mauá, Rio de Janeiro

Lançado ao mar e batizado na Itália em junho de 2018, o MSC Seaview - segundo navio da classe Seaside - iniciou no dia 7 de dezembro a sua primeira temporada em águas nacionais. A chegada do navio, que é o maior e mais moderno transatlântico a navegar pelo litoral brasileiro desde que o país começou a receber cruzeiros, começou a ser celebrada no dia 2 de dezembro quando o navio chegou ao porto de Salvador.

Na capital da Bahia, a chegada do MSC Seaview foi acompanhada pelo Cortejo Afro e das tradicionais Baianas, símbolos da cidade. Como acontece toda vez que um navio chega pela primeira vez em uma cidade, o revolucionário transatlântico sediou a cerimônia de troca de placas, tradição já conhecida na indústria de cruzeiros, que contou com a presença de autoridades locais e representantes da companhia.

Chegada do MSC Seaview ao Rio de Janeiro, na manhã de 4 de dezembro

Bateria e passistas da Beija-Flor de Nilópolis saúdam os passageiros do MSC Seaview no Rio de Janeiro

Já no Rio de Janeiro, onde chegou na manhã do dia 4, o MSC Seaview foi recebido pela bateria e passistas da premiada escola de samba Beija-Flor de Nilópolis, que encantou os turistas. Na Cidade Maravilhosa, a MSC também realizou a tradicional cerimônia de troca de placas, recebendo a bordo o Gerente Geral do Pier Mauá, Alexandre Gomes, e o Presidente da TurisRio, Paulo Senise, entre outras autoridades. À tarde, foi inaugurado para a temporada brasileira o MSC Aurea SPA do navio, espaço dedicado ao bem-estar e relaxamento dos hóspedes e o maior da frota atual da MSC Cruzeiros. A ação foi marcada pela presença das atletas do nado sincronizado Bia e Branca Feres, que cortaram a fita de inauguração do espaço ao lado do Diretor Comercial e de Revenue da companhia, Ignacio Palacios.

As atletas do nado sincronizado Bia e Branca Feres, e o Diretor Comercial e de Revenue
da MSC Cruzeiros do Brasil, Ignacio Palacios, na inauguração brasileira do MSC Aurea Spa

O Diretor-Geral da MSC Cruzeiros do Brasil, Adrian Ursilli, após entrevista com a imprensa especializada

Ao chegar ao porto de Santos por volta das 5:10h da manhã do dia 6, o transatlântico recebeu o tradicional "batismo" com jatos de água disparados por rebocadores, e após a atracação, foi saudado pelo Quarteto de Cordas da cidade e por uma apresentação da banda da Marinha. Em seguida, foi realizada a cerimônia de troca de placas e inaugurado também o Sports Bar, que reúne uma memória do esporte em alto mar, evento que contou com a ilustre presença do bi-campeão do mundo pela Seleção Brasileira, Pepe, conhecido como Canhão da Vila. Pepe entregou uma camisa da Seleção Brasileira autografada ao comandante do MSC Seaview, Giuseppe Galano (que declarou torcer pela equipe carioca do Fluminense), que em troca, entregou uma camisa da seleção italiana ao bi-campeão mundial, além de uma réplica do MSC Seaview.

Navegando rumo a Santos

Batismo com jatos d'água na chegada ao porto de Santos, no início da manhã do dia 6 de dezembro

No porto de Santos (vista da varanda de uma suíte no deck 15)

O bicampeão pela Seleção Brasileira, Pepe, recebe das mãos do comandante Giuseppe Galano a miniatura do MSC Seaview

O grande evento de inauguração do meganavio no Brasil foi realizado na noite da última quinta-feira, dia 6 de dezembro, e contou com a presença de 2.400 convidados, entre eles executivos da MSC Cruzeiros, agentes de viagens, jornalistas, convidados VIP e parceiros, além da madrinha brasileira da companhia, a apresentadora Xuxa Meneghel, que cortou a fita de inauguração do transatlântico.

Gianni Onorato, CEO da MSC Crociere

Adrian Ursilli, Diretor-Geral da MSC Cruzeiros do Brasil; Gianni Onorato, CEO da MSC Crociere;
Xuxa Meneghel, madrinha oficial da MSC no Brasil, e o comandante do MSC Seaview, Giuseppe Galano

Corte da fita simbolizando a inauguração da primeira temporada do MSC Seaview no Brasil

Xuxa Meneghel, a madrinha oficial dos navios da MSC Cruzeiros no Brasil

À cerimônia oficial que marcou o início da primeira temporada do navio no Brasil seguiu-se um jantar de gala e, logo após, o transatlântico continuou em festa com música ao vivo em seus diversos bares e lounges. Por volta da meia noite, o espírito festivo e alegre da Bahia invadiu o transatlântico e os convidados cantaram e dançaram ao som da banda baiana Babado Novo. Após o show, a festa ainda continuou com o DJ Ronald, com o melhor da música eletrônica.

Sobre o MSC Seaview

O meganavio foi inspirado em um inovador conceito dos condomínios de praia de Miami e permite aos hóspedes uma experiência única e inesquecível mais próxima ao mar. Com 323 metros de comprimento, 72 metros de altura e capacidade para 5,3 mil hóspedes, o MSC Seaview conta com uma promenade de 360°, na altura do deck 8, que funciona como uma animada área de lazer, com bares, restaurantes, lojas e passarelas com piso de vidro.

O majestoso Atrium do MSC Seaview e suas escadarias cravejadas de cristais Swarovski

O majestoso Atrium do MSC Seaview com suas telas de LED e escadarias cravejadas de cristais Swarovski

A Ponte dos Suspiros, passarela de vidro com vista panorâmica na popa do navio
A Ponte dos Suspiros e os elevadores panorâmicos na parte posterior do navio

No quesito gastronômico, o transatlântico conta com 11 restaurantes, sendo dois self-service (Marketplace Buffet, no deck 8, e Ocean Point Buffet, no deck 15), dois restaurantes principais à la carte (Golden Sand, no deck 5, e Silver Dolphin, no deck 6) e seis de especialidades, entre eles o Ocean Cay by Ramon Freixa, primeiro restaurante em alto mar do premiado chef espanhol, o Asian Market Kitchen by Roy Yamaguchi, que é o segundo restaurante em parceria com o chef pan-asiático, e a churrascaria Butcher's Cut.

Restaurante Marketplace Buffet

Restaurante Silver Dolphin

Asian Market Kitchen by Roy Yamaguchi

Sports Bar

Champagne Bar, um dos ambientes mais elegantes do MSC Seaview

Haven Lounge

O simpático e elegante L'Atelier Bistrot

O navio oferece uma rica variedade de opções de entretenimento para todas as idades. Aqueles que gostam de uma boa dose de adrenalina têm a oportunidade de se aventurar na maior tirolesa dos mares. Já aqueles que preferem apreciar as belas paisagens e o oceano, podem conferir a vista da Ponte dos Suspiros, que está localizada a 40 metros de altura. Para relaxar ao sol, estão à disposição dos viajantes cinco piscinas, sendo uma localizada na popa do navio, no deck 7, 13 hidromassagens, além de divertidíssimos toboáguas. Todas as noites, no teatro Odeon, que tem capacidade para 934 pessoas, são oferecidos shows ao estilo Broadway. 

Teatro Odeon

Show de variedades com a equipe MSC Showtime

Danceteria Garage Clube, pilotada por seu DJ de um carro clássico dos anos 50

Quadra de Boliche

The Gallery e suas elegantes boutiques

A agradável The Piazza, um dos amplos ambientes do navio

A arrojada galeria imersiva Emotions, onde os hóspedes poderão apreciar fotos e vídeos do cruzeiro

O navio ainda conta com uma academia equipada com aparelhos de última geração da Technogym, o spa MSC Aurea, mini clubs para crianças de todas as idades em parceria com a Lego e Chicco, pistas de boliche, cinema XD, simulador de Fórmula 1, barbearia, salão de beleza e quadra poliesportiva, diversos bares e lounges, além de uma discoteca onde o DJ pilota suas pick-ups de dentro de uma réplica de um carro dos anos 50.

Vista aérea da piscina Panorama, a maior do navio, no deck 16

Detalhe de piscina Panorama

Jungle Pool Lounge, piscona com cobertura retrátil no deck 18

Piscina Sunset, no deck 7

Piscina Sunset, no deck 7

Forest Aquaventure Park, a piscina mais jovem do MSC Seaview

Quadra poliesportiva MSC Sports Arena

A moderna academia junto ao MSC Aurea Spa, equipada pela Technogym

Já o público que busca exclusividade, privacidade e um serviço ainda mais personalizado, o gigante tem um espaço ainda maior para o MSC Yacht Club, produto de luxo da MSC Cruzeiros que proporciona, entre outras regalias, mordomo 24 horas, piscina, solário e restaurantes privativos e pacote de bebidas all inclusive. 

A majestosa Yacht Club Deluxe Suite

Restaurante privativo para hóspedes das suítes MSC Yacht Club

Outras novidades trazidas pelo MSC Seaview para o Brasil são o sistema MSC for Me - em que o hóspede acompanha todas as atividades de seu cruzeiro e conecta-se aos serviços do navio com seu smartphone ou tablet -, e os novos elevadores inteligentes, que otimizam sua utilização distribuindo os passageiros com destino aos vários decks do navio de forma organizada, reduzindo o consumo de energia.

Cabine para famílias (com porta que possibilita acesso à cabine adjacente)

Jacuzzi privativa, disponível em algumas suítes com varanda

Cabine interna: conforto e muita elegância, mesmo nas cabines de categoria inferior

Com embarques nos portos de Santos e Salvador, o MSC Seaview realiza roteiros de seis e sete noites com escalas alternadas em Ilhabela, Búzios, Ilha Grande e Ilhéus, minicruzeiros de três e quatro noites, pelo Sul e Sudeste, com escalas alternadas em Porto Belo, Balneário Camboriú, Ilhabela, Ilha Grande e Búzios e também roteiros de sete noites com escalas alternadas em Búzios, Ilha Grande, Porto Belo e Balneário Camboriú.

MSC Seaview e seu design arrojado, estado da arte da engenharia naval

O MSC Seaview é o 15º navio a integrar a frota da MSC Cruzeiros e o terceiro a entrar em operação desde o ano passado. Essa grande novidade, com tonelagem bruta de 153.516 t, 323 metros de comprimento, 41 de largura e 72 de altura e capacidade para 5.331 hóspedes em 2.066 cabines (70% delas com vista para o mar) e uma tripulação de 1.413 membros, é fruto do plano de investimento global da companhia, sem precedentes no setor, de 13,6 bilhões de euros, que permitirá expandir a sua frota para 29 navios até 2027. Os navios da MSC Cruzeiros estão presentes na América dos Sul, Caribe, Estados Unidos e Canadá, Mediterrâneo, Emirados Árabes Unidos e Índia, Norte da Europa, China e Japão, onde a companhia apresenta opções sensacionais para aqueles que buscam ter as férias dos sonhos.

A elegância das linhas do mais novo navio em operação da temporada brasileira 2018/2019

O projeto do MSC Seaview foi inspirado nos modernos condomínios de praia da Flórida

A MSC Cruzeiros fez sua estreia no Brasil há 22 anos com o clássico navio Monterey, começando a ganhar espaço e a preferência de muitos cruzeiristas nos anos seguintes, quando passou a trazer o pequeno e charmoso Rhapsody. Desde então, sempre acompanhando a renovação da frota, a companhia vem trazendo para a costa brasileira alguns de seus navios mais novos, iniciativa otimamente recebida pelo público brasileiro e que permitiu que conquistasse e consolidasse sua presença como líder em cruzeiros marítimos no país.

História: o clássico Monterey, primeiro navio da MSC Cruzeiros a operar no Brasil, nos anos 90

História: Rhapsody, sucesso nos primeiros anos da MSC Cruzeiros no Brasil e responsável por tornar a companhia conhecida no país

Conheça agora todos os detalhes desse meganavio no vídeo Descubra o MSC Seaview.

Sobre a Sobre a MSC Cruzeiros (www.msccruzeiros.com.br)

A MSC Cruzeiros, sediada em Genebra, na Suíça, é a maior empresa privada de cruzeiros do mundo e número um na Europa, América do Sul, África do Sul e Golfo. Mudando os paradigmas no mundo dos cruzeiros, a empresa alcançou um crescimento de 800% em seus primeiros dez anos, construindo uma reputação global na indústria e uma das frotas mais jovens dos mares. A frota atual da MSC Cruzeiros conta com 15 navios ultramodernos, altamente inovadores e com design elegante, oferecendo uma experiência de férias inigualável, sempre com culinária deliciosa e autêntica, entretenimento premiado, muito relaxamento, acomodações confortáveis, além de serviço e expertise impecáveis. Com o ambicioso plano de investimento sem precedentes de 13,6 bilhões de euros, a frota será expandida para 29 navios até 2027. Até o momento, a companhia projetou seis novas classes de grandes navios, sendo que todos os protótipos ultrapassam os limites da arquitetura e do design naval, e uma classe de ultraluxo com opções inovadoras para o conforto dos hóspedes.

A MSC Cruzeiros tem uma profunda responsabilidade com os ambientes físico e humano em que atua. A empresa opera com o maior respeito pelos oceanos do mundo e está em uma jornada contínua para desenvolver formas inovadoras de reduzir o impacto ambiental de seus cruzeiros. As experiências de férias da MSC Cruzeiros são vendidas em todo o mundo, por meio de uma rede de trabalho em 70 países. A empresa emprega mais de 23,5 mil pessoas em todo o mundo, tanto em terra como a bordo de seus navios. A MSC Cruzeiros faz parte do Grupo MSC, que é composto pelas principais companhias de transporte e logística.